-Vômito virtual de uma formação idealizada e lugares não delimitados

-Sabe aqueles lugares que se virtualizam e viram cantos visitados sem intrusão? 

-Não.

-Sabe sim. Quantas vezes você já deu a volta ao mundo sem sair do lugar?

-Perdi as contas.

-Pois. Hoje estive pensando na possibilidade de virtualizar meu corpo e virar outros corpos sem intrusão. Você já pensou nisso?

-Sim e concluí que não dá.

-Invejei os lugares, podendo ser não-lugares.

-Dá pra visitar os não-lugares com os verdadeiros corpos, nisso eu vivo pensando. Corpo não pode deixar de ser corpo, senão quebraria o ciclo.

-Que conversa de ciclo?

-Ato falho. Quebraria o circo. Palhaço sem maquiagem é gente medíocre como todo mundo, é epistemologicamente desconcertante ter um não-corpo por opção. A tecnologia não guarda essa promessa.

-Eu acho triste. Tenho problemas de simbolismo. Sou um todo com tudo, é difícil ser esse corpo inteiro, queria ter limites, como os lugares.

-Limites são invenções da teoria da frustração. Logo, logo sairá de moda e você vai ver pra o que fomos feitos. Pra ser não-gente sem noção do que somos ou deixamos de ser. Estamos caminhando pra isso a largos passos.

-Quero férias desse corpo limitado. Quero fugir no mundo de fantasmas recalcados pelos super-egos do planeta. Não tenho mais onde fuçar história em minha soma, pois tudo em mim deixou de ser pra que uma possibilidade de transformação criativa se instalasse. Eu acho isso empolgante e triste, mas não reajo, você acha justo?

-Que te importa a idéia de justiça frente à intolerância que sentes ao ver teu corpo que se transforma? Além disso, muito mais seria necessário até que minha opinião contasse neste assunto. Seu ego é super pelo tamanho, não pelas interdições proeminentes. Meu conselho é que te despeças.

-Pra onde pensa que vai?

-Não me moverei daqui. Teu corpo é que caminha sozinho para um não-lugar tão distante quanto sua consciência, enquanto falas sintomaticamente do medo do vazio.

-Que houve? Esvaziaste-te?

-Não, mas fui acometida por uma vontade de ser pequena.

-Pois seja, mulher. Seja pequena se assim queres. Você merece.

-Merecimento agora virou motivo?

-Sempre que desejares verdadeiramente. Use isso como desculpa quando perguntas assim te vierem à cabeça. Pense: serei pequena pois mereço; feche os olhos e seja.

-Serei pequena pois mereço, fecho os olhos e sou.

transborda

ah, amigo, tem dias que a chuva interior cai mais gelada

e sai levando todo o lixo acumulado ladeira abaixo

na minha fala atormentada

mas aí lembro que sou teimosa,

grande culpada da obstrução das vias de escoamento

que não me deixou meter a mão onde devia, enquanto era tempo

ah, amigo de longe, queria-te mais de perto

salvando-me da enchente de sentimentos

me dizendo que é dia de ficar em casa, escutando teus lamentos

e que nada tem de mais em ser a própria teimosia

já que quando eu quis amar, o amor já não me queria

já que este é sempre o final de toda gota que cai fria

Shadows settle on the place that you left
Our minds are troubled by the emptiness
Destroy the middle it’s a waste of time
From the perfect start to the finish line

And if you’re still breathing, you’re the lucky ones
'Cause most of us are heaving through corrupted lungs
Setting fire to our insides for fun
Collecting names of the lovers that went wrong
The lovers that went wrong

We are the reckless
We are the wild youth
Chasing visions of our futures
One day we’ll reveal the truth
That one will die before he gets there

And if you’re still bleeding, you’re the lucky ones
'Cause most of our feelings, they are dead and they are gone
We’re setting fire to our insides for fun
Collecting pictures from the flood that wrecked our home
It was a flood that wrecked this

And you caused it
And you caused it
And you caused it

Well, I’ve lost it all, I’m just a silouhette
A lifeless face that you’ll soon forget
My eyes are damp from the words you left
Ringing in my head when you broke my chest
Ringing in my head when you broke my chest

And if you’re in love, then you are the lucky one
'Cause most of us are bitter over someone.
Setting fire to our insides for fun
To distract our hearts from ever missing them.
But I’m forever missing him

And you caused it
And you caused it
And you caused it

Tem muita graça e pouca razão nesse lugar que você me chamou pra ir
Hei de devolver a quem merece a facilidade de minha companhia
Pois teu sorriso, como um cheiro intruso, mexeu bem lá onde meu medo dormia
Me mandando empurrar um pouco mais de atenção na parte em que obviamente não cabia